32.5 C
Brasil
segunda-feira, fevereiro 26, 2024
HomeGERALCassol tem nova derrota no caso judicial em que poderá pagar R$...

Cassol tem nova derrota no caso judicial em que poderá pagar R$ 24 milhões por uso indevido de PMs como seguranças particulares

Date:

Related stories

spot_imgspot_img

Decisão é do Daniel Ribeiro Lagos, membro das Câmaras Especiais Reunidas do Tribunal de Justiça (TJ/RO)

Porto Velho, RO – O ex-governador Ivo Cassol insiste judicialmente a fim de protelar a deliberação legal que pode levar o antigo mandatário do Estado a pagar mais de R$ 24 milhões por uso indevido de policiais militares como seguranças privados.

Ele teve um novo revés, entretanto.

A decisão é fruto de ação popular movida pelo contador Domingos Borges da Silva.

Cassol requereu, segundo os autos, a concessão de efeito suspensivo aos embargos de declaração interpostos por si em face ao acórdão (Id. 18992309), “que julgou improcedentes os pedidos formulados nos autos da presente ação rescisória, cassando a liminar anteriormente deferida, proposta em desfavor do Estado de Rondônia e Domingos Borges da Silva”.

Ele aponta os seguintes vícios de contradição e omissão:

“a) Inaplicabilidade da súmula 343/STF; b) Afastamento do Tema 136; c) Omissão quanto à aplicação da ADI 5346/19 e ADI 4601/19 relativo a modulação de efeitos”, sustentando que os precedentes invocados podem conferir efeito infringente ao julgado pois decididos em sede de controle concentrado”.

E fundamenta que, “em razão da cassação da liminar que lhe era favorável, está à mercê dos atos expropriatórios dos autos do cumprimento de sentença (processo n. 7033557-71.2017.8.22.0001), no qual houve pedido de cumprimento no importe de R$ 24.600.450,22 (vinte e quatro milhões, seiscentos mil, quatrocentos e cinquenta reais e vinte e dois centavos), o que pode gerar dano grave e de difícil reparação”.

Seus advogados citaram fundamentos utilizados pelo então relator, “Des. Walter Waltenberg, para deferir a liminar. Sustenta que a concessão de efeito suspensivo não trará prejuízos, pois a decisão poderá ser revertida ao final do julgamento definitivo”.

Ao fim, pediu a concessão de efeito suspensivo “a fim de determinar a suspensão de todos os efeitos emanados do cumprimento de sentença (processo n. 7033557-71.2017.8.22.0001) até o julgamento definitivo do mérito”.

O desembargador Daniel Ribeiro Lagos, atuando pelas Câmaras Especiais Reunidas do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ/R), decidiu:

“Ainda, urge destacar que o relator, Des. Miguel Monico Neto, levou a julgamento o agravo interno manejado pelo réu contra a decisão inicial em que o Des. Waltemberg deferiu a liminar para suspender o cumprimento de sentença. Naquela assentada (id. 13252808) votou pelo provimento do agravo para que fosse cassada a liminar então concedida por seu antecessor, no que lhe acompanhei.

A liminar, todavia, só restou mantida porque o Des. Gilberto Barbosa divergiu e foi acompanhado pelo Juiz Jorge Gurgel do Amaral, sendo assim aplicado o regimento interno que prevê, para o caso de empate no julgamento do Agravo Interno, a manutenção da decisão agravada. Faço esse esclarecimento para evidenciar que desde àquela assentada entendo que o pedido de efeito suspensivo ao cumprimento de sentença deve ser indeferido, tal qual o Des. Monico, posto faltar aos argumentos do autor, ora embargante, a probabilidade do direito.

Quanto ao perigo de dano e de difícil reparação (periculum in mora), entendo despicienda a análise pois, como mencionado inicialmente, só é suficiente para concessão do efeito suspensivo aos embargos se for entendido que é relevante a fundamentação dos aclaratórios, o que diante do já mencionado não é o caso.

Entretanto, ainda que não fosse esse o caso, também entendo ausente tal requisito pois eventual ato expropriatório em desfavor do embargante por certo é passível de reversão.

Portanto, indefiro o pedido de efeito suspensivo aos embargos de declaração.

Intimem-se.

Após, retornem os autos conclusos ao relator do acórdão embargado para oportunamente incluir em pauta o recurso.

Porto Velho – RO, data da assinatura digital.

Des. Daniel Ribeiro Lagos
Relator em substituição regimental”.

FONTE: RONDONIADINAMICA

Subscribe

- Never miss a story with notifications

- Gain full access to our premium content

- Browse free from up to 5 devices at once

Latest stories

spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

porn
london escorts
betoffice
uluslararası zati eşya taşımacılığı türkiyeden almanyaya ev taşıma uluslararası evden eve nakliyat türkiyeden kıbrısa evden eve nakliyat türkiyeden kıbrısa ev taşıma fiyatları türkiyeden ingiltereye evden eve nakliyat yurtdışına ev taşıma zati eşya taşımacılığı
deneme bonusu veren siteler