22.8 C
Brasil
domingo, março 3, 2024
HomeBRASILSTF adia julgamento que pode anular eleição de sete deputados federais, um...

STF adia julgamento que pode anular eleição de sete deputados federais, um deles de RO

Date:

Related stories

FGTS digital começa hoje; veja como vai funcionar

Os empregadores poderão fazer uso de uma plataforma com...

Fluminense conquista título da Recopa Sul-Americana sobre a LDU

Jhon Arias marcou duas vezes para garantir o troféu...

PF retira invasores da Terra Indígena Pacaás Novas em Rondônia

Um dos invasores foi preso em cumprimento a um...

Corregedoria-Geral do MPRO prestigia posse da nova composição do CNCGMPEU

Evento é realizado em Manaus (AM) Porto Velho, RO - A...
spot_imgspot_img

Se mudanças forem aprovadas, “Lebrão” sai e Rafael “É O Fera”, de Ariquemes, assume vaga

Porto Velho, RO – O Supremo Tribunal Federal (STF) adiou, nesta quinta-feira (8), o julgamento que pode anular a eleição de sete deputados federais.

O caso envolve o deputado federal José Eurípedes Clemente, o “Lebrão”, de Rondônia. Se as mudanças forem aprovadas, quem assume a vaga é Rafael Bento Pereira “É O Fera”, de Ariquemes.

A discussão sobre as ações que questionam a regra atual de distribuição das chamadas “sobras eleitorais” entre os partidos políticos será retomada no próximo dia 21.

As siglas Podemos, PSB, PP e Rede entraram com ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs) no STF contra o atual sistema de definição dos parlamentares.

Os partidos questionam a exigência de desempenho de 80% do quociente eleitoral – número de votos válidos obtidos dividido pelo número de vagas disponíveis – para que as legendas possam concorrer aos postos remanescentes de deputado federal, estadual e distrital.

Além disso, a regra atual prevê que os candidatos devem alcançar, individualmente, 20% do quociente eleitoral.

O caso começou a ser julgado em abril de 2023, mas acabou suspenso duas vezes após pedidos de vista dos ministros Alexandre de Moraes e André Mendonça. Até o momento, três integrantes da Corte votaram.

Relator do processo, o ministro aposentado Ricardo Lewandowski entendeu que a exclusão dos partidos na distribuição das sobras eleitorais por meio da exigência de desempenho “não se mostra compatível com a letra e o espírito do texto constitucional, pois dessa fase deveriam participar todas as agremiações que obtiveram votos no pleito”.

Lewandowski, no entanto, votou para que a alteração na lei passe a valer a partir das eleições de 2024, sem afetar o resultado daquelas de 2022.

Os ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes também votaram contra a regra atual, mas divergiram do relator para defender a aplicação da distribuição das sobras eleitorais de forma retroativa ao pleito de 2022, o que poderia anular a eleição de ao menos sete deputados federais.

Se as mudanças forem aprovadas pelo STF, Câmara poderia ter as seguintes alterações:

Sairiam:

Professora Goreth (PDT-AP); Silvia Waiãpi (PL-AP); Sonize Barbosa (PL-AP);

Dr. Pupio (MDB-AP); Gilvan Máximo (Republicanos-DF); Lebrão (União Brasil-RO); e Lázaro Botelho (Progressistas-TO).

Entrariam

Professora Marcivânia (PCdoB-AP); Paulo Lemos (PSol-AP); André Abdon (Progressistas-AP); Aline Gurgel (Republicanos-AP); Rodrigo Rollemberg (PSB-DF); Rafael Bento (Podemos-RO); e Tiago Dimas (Podemos-TO).

Fonte: Extra de Rondônia

Subscribe

- Never miss a story with notifications

- Gain full access to our premium content

- Browse free from up to 5 devices at once

Latest stories

spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

porn
london escorts
betoffice
uluslararası zati eşya taşımacılığı türkiyeden almanyaya ev taşıma uluslararası evden eve nakliyat türkiyeden kıbrısa evden eve nakliyat türkiyeden kıbrısa ev taşıma fiyatları türkiyeden ingiltereye evden eve nakliyat yurtdışına ev taşıma zati eşya taşımacılığı
deneme bonusu veren siteler